rebuscamento

rebuscamento

15 de abril, 2020 0 Por MCestari

poesia concreta “rebuscamento”

Página187

     rebuscamento

 

     Escolhi um punhado, uma coisa boa.

     Semente cresce, fruto cai, vida esvai.

     Pensamento molhado é garoa.

     Sentimento pensado é a toa.

 

     O vento só venta com ar

     O sopro assopra

     A cabeça é oca

     A lida é pouca

 

     Tênue linha reta é uma meta.

     Se faz curva é uma reta curva.

     Se faz meta curva é um desvio.

     Se faz vinho é uva.

 

     Ao asno o céu

     Ao réu o véu

 

     Palavras amontoadas em um pedaço de papel. Letras letradas ao leo. Rimas rimadas, gestos e gestações. Há tempos foi-se a sugestão imediata. O cadafalso, a guilhotina, a falta de verbo, a sabedoria. Diminuto ser sou, serei. Falsearei alguns passos antes do derradeiro. Me derramo em presente acordo, luto. Minha certeza não absoluta, serena. Orvalha. Molha aos poucos, rega. Nunca há de haver entrega à alma cega.

 

     Olhos olham.

     Ouvidos ouvidam.

     Parênteses parênteseiam.

     Presentes se presenteiam.

     Presenças se presenciam.

 

     Sentencias sentenciadas são pedaços de jornadas mal acabadas, volumes faltosos da coleção, beijos pueris sem traição. Só existe um coisa absoluta em cada um.

 

     Somos.

Sobre o Autor

MCestari
MCestariMarcos Cestari é um quase geólogo graduado em Propaganda e Marketing concluindo a graduação EAD em Letras português/inglês. Palhaço ou Clown, artista de rua, poeta, escritor. Autor do romance Cadafalso Despertar, autopublicação que pode ser comprada aqui no site, na aba /Loja Ladra Livros. [Uma cabeça que pensa, uma cabeça que cria, uma cabeça que é pensa, uma cabeça que é minha]