• conto,  página187,  prosa,  prosa-poética

    Matilde

    Estava ali uma mulher conformada. A vida se resumia a isso, comer poesia dia após dia. Degustar o cotidiano, sempre mudar de plano, deixar que a angustia se esvaia e saia.